sexta-feira, 18 de março de 2011

Hoje me vejo cada vez mais distante...mesmo perto!me reconheço em novos caminhos e acredito que eu pertenco ao vento, que sopra pra frente, e que por vezes trás lembranças de outros dias.Apesar dos quadros que habitamminha casa serem os mesmos, eu mudei, um pouco, um muito e os espelhos já não refletem o tempo, são instantaneos de um olhar rápido, de quem sai para trabalhar e esquece o oculos, o som do carro e a agenda como os afazeres dia. Me sinto calmo,cansado, vivido, mas também me sinto interio, forte e decidido...o duelo diário me conduz a procurar saber o que eu vou fazer com a minah segunda, terças -feiras...faço supermercado, ainda não fiz analise e sonho em ter um filho para amar todas as horas do meu dia.Coleciono amigos.coleciono pessoas.Amo tão intensamente, em um desespero tão profundo, que acabo construindo universos ao redor da pessoa amada.Choro e rio com a mesma intensidade, me sinto único, mas me procuro entre as igualdades dos que convivem comigo.Não entendo o mundo e isso continua a me fascina.Gosto de proteger, de guardar do frio e conduzir nas caminhadas.Momentos felizes são desapercebidos, por isso, quando lembro que fui feliz, fico triste.fico alegre, fico bem.
Conversar comigo mesmo me fez amigo meu...escrever é apenas uma forma de acalmar os demônios bons de dentro de mim.
Quero em vingar, mas não consigo.
Quero presentear, e quero a pessoa presente.Quero ser, e não estar.Quero tudo, como diz minha irmã.e ás vezes o que eu quero é só um olhar de proteção, que acalme essa busca desenfreada por algo que nem mesmo eu sei.

Continuo aqui, por aqui, com a minah casa e corações(tenho vários!) abertos, por que noíntimo, sou só um menino bobo, que ainda acredita no amor e que tem pressa...muita pressa de ser e está sendo feliz.

(Rodrigo Dantas)

APRENDI...

Tenho quase 41 anos, e a cada dia que passa , aprendo mais sobre a vida.
Aprendi oque é amar de verdade alguém, por sua alma, sua nobreza e sua essência.
Aprendi que mesmo quem nasce para amar, não nasce necessariamente pro amor.
Aprendi que o “pra sempre” nem sempre dura pra sempre e que às vezes ele dura uma fração de segundos, o suficiente para dizermos oque nem sempre sentimos.
Aprendi porque somos chamados de indivíduos. É porque em meio a tantas pessoas, somos únicos e devemos aprender a conviver conosco, pois a maior parte da nossa vida é na solidão que nos descobrimos e que nos conhecemos.
Aprendi que a vida deve ser vivida plenamente, mesmo que esse plenamente se resuma a momentos em que estamos sós.
Aprendi que mesmo na solidão nunca estamos realmente sós. Que há um mundo invisível a nossos olhos, mas que nos abraça e acaricia quando mais precisamos.
Aprendi que nosso futuro depende das escolhas que fazemos no nosso presente, e que somos nós que escolhemos oque viver e oque sentir. E que só a nós cabe a culpa e a dor pelas escolhas erradas.
Aprendi que o amor verdadeiro não prende, não acorrenta, não sufoca, não reprimi. Ao contrário, o Amor verdadeiro liberta, pois ele sabe que é só na liberdade que podemos encontrar a felicidade.
Aprendi que amar é muito mais que dizer palavras bonitas, pois palavras se apagam com o tempo. Amar é se dar, se doar, se sentir feliz ao ver a felicidade de quem se ama. Amar é abrir mão do amor, se essa for a única forma de dar paz e tranqüilidade a quem se ama.
Aprendi que não é a toa que o mundo é redondo. Que é assim, feito a perfeição de Deus, para nos trazer de volta tudo que emitirmos na vida, sejam coisas boas ou ruins. E como um bumerangue, volta ainda mais veloz e com o dobro da força com que foram emitidos. E é só na hora do impacto desse retorno, quando alegrias e tristezas nos alcançam é que percebemos o porquê de sentirmos paz de espírito, felicidade ou remorso e arrependimento.
A cada dia que passa aprendemos mais e mais. Algumas coisas acabamos esquecendo no caminho, mas a vida, em sua infinita sabedoria, por vezes nos faz relembrar.
Aprendi que erros podem e devem ser cometidos, pois são eles que mais nos ensinam a crescer e a nos superar a cada dia.
Aprendi que não existem limites pra nós, pro nosso corpo e pra nossa vida. Pois sempre que alcançamos oque pensávamos ser o nosso máximo percebemos que podemos ir além, e além e sempre mais além...
Mas aprendi também, infelizmente, que maldade, assim como a bondade também não limites.
Aprendi que o perdão pode não ter valia a quem o recebe, mas que o coração que perdoa sempre se engrandece.
Aprendi que de nada adianta pensar que podíamos ter feito algo diferente, pois o tempo não volta. Mas também aprendi que podemos criar um futuro melhor, se nos basearmos nos erros passados, nossos e de outros, e fazermos as coisas da forma certa, ou pelo menos oposta as que deram errado.
Aprendi que escrever é a melhor maneira de expressar oque sentimos, pois exige concentração. Pois ao falar estamos sujeitos as influencias que nada tem a ver com a nossa linha de raciocínio.
Enfim. Aprendi muitas coisas na vida e continuo aprendendo. Errando ou acertando, não importa. Oque importa é aprender a extrair de cada experiência um pouco ou muito do lado bom que existe em tudo na vida.
E o lado ruim... Quem sabe um dia aprendo a esquecer.

(Gisleine Gouveia 16/03/2011)
"Ausência é como a morte de alguem querido, você não deixar de amar, mas o tempo se encarrega de amenizar a dor da saudade. Você não deixa de amar, só se acostuma a ficar só"

VOCÊ SABE AMAR?

Amar é confiar. Amar é respeitar. Amar é confidenciar. Amar é estar feliz com a vida! Amar é acreditar que nunca é tarde para recomeçar. Amar é ter sinceridade, lealdade, honestidade. Amar é companheirismo, é amizade mútua. Amar é dedicação. Amar ultrapassa as frases “eu te amo” e/ou “te quero muito”.

Amar é um sentimento que se cultiva aos poucos, dia após dia, e não está presente no primeiro dia que conhecemos aquela pessoa dos nossos sonhos. O amor se cultiva pelos gestos, pelas atitudes, pela atenção, pela maneira espontânea de ser. Por isso afirmo, amei e continuo amando uma única pessoa na vida. Amo pela maneira e atitude de ser, pelo carinho, pela dedicação e pela forma que cultivou o meu coração. Amo porque foi o meu melhor amigo. Amo e sempre amarei porque me ensinou o essencial da vida, a base do que realmente é o amor.

Amar para mim não é o desejo carnal, e sim, é o desejo de estar sempre juntinho daquela pessoa, seja em momentos bons ou ruins. Amar é se dedicar e acabar descobrindo que esta é a pessoa para dividir uma vida contigo.

Amar é um pouco de cada frase que descrevo. E feliz é aquele que sente este puro amor e não vive das aparências. Feliz é aquele que ama e é amado.

"A Felicidade exige Valentia"

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes mas, não
esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela
vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios,
incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.

É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no
recôndito da sua alma.

É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da Vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."

Fernando Pessoa

QUEM SOU EU...

Sou um misto de mulher e de menina. Uma mulher que pode dizer que sabe oque é amar e se sentir amada e uma menina que redescobriu o prazer de sonhar...
Sou o por do Sol de uma tarde de primavera e a Lua brilhante em uma noite de verão.
Sou o verde das matas em extinção e o canto dos pássaros que voam na solidão.
Sou grande, sou pequena, dependendo dos olhos de quem me vê, mas consegui ser vista como sou, sem mascaras, sem medidas, na totalidade do meu ser.
Sou alegria e tristeza, sou fé e desanimo, sou inteira mas me dei e me dou aos pedaços a todos que cruzam meu caminho. E mesmo assim me redescubro a cada novo dia como um ser cada vez mais completo.
De todas as experiências que vivi, tirei o melhor e guardei em um baú de recordações. Nele estão pedaços da minha história. A infância de menina brejeira e feliz. A maternidade precoce, mas bem vinda, e tudo que me proporcionou de crescimento. Minha família, alicerce e base da minha honestidade e caráter. O amor mais verdadeiro e sublime que uma mulher pode sentir por um homem, que ainda sente e que sempre sentirá. O despertar para meu interior onde aprendi a me desvencilhar dos sentimentos negativos e até deles, extrair algo de bom.
Aprendi a aproveitar cada dia como se fosse o ultimo, mas não deixar de fazer planos e de sonhar.
Um dia terei uma casinha amarela, com varanda e vasos de plantas pra adorná-la. Uma rede para apreciar um fim de tarde e um cãozinho deitado aos meus pés me fazendo companhia. Um jardim pra cultivar flores de varias cores e quem sabe uma pequena horta pra me distrair nas manhas de Sol. Bons livros e uma coletânia de musicas pra alegrarem meus dias.
Um espelho com moldura abstrata, para ver em meu rosto a cada dia uma nova experiência ser vincada, e me sentir bela só de poder dizer que vivi intensamente cada momento dos meus dias.
Até o dia em que a luz se apagar de meus olhos, e um sorriso singelo iluminar meu ultimo suspiro, com a certeza que descobri o verdadeiro significado da palavra FELICIDADE.